23 maio 2018

Inscrições Startup - Sebrae SP

Estão abertas as inscrições para o Startup SP - Centro de Referência Nacional em Empreendedorismo, Tecnologia e Economia Criativa

O Startup-SP é o programa de desenvolvimento de startups digitais do Sebrae-SP. Com foco em startups em estágio de validação, o programa tem duração de 4 meses e oferece capacitações, acompanhamento de negócios e mentorias com parceiros de mercado e do ecossistema de startups.

Buscamos startups inovadoras, com alto potencial de crescimento, que utilizem softwares ou serviços de tecnologia da informação como ponto central do seu modelo de negócio e que ainda nao tenham validado todas as hipóteses do modelo de negócio.

Em cada uma das edições serão selecionadas 10 startups que receberão todo o suporte do Sebrae e parceiros, com foco na validação do modelo de negócios e na ida ao mercado. 
    
 
Etapas do Processo seletivo 
 
17/05 | Início das inscrições
01/07 | Encerramento das Inscrições
06/07 Divulgação dos Projetos Finalistas
16/07 | Banca de Pitch dos Projetos Finalistas
20/07 | Resultado Final – Projetos Selecionados
06/08 Kickoff (Abertura / Início do Programa)
18 a 20/10 | Bootcamp em São Paulo
04/12 | Demo Day (Encerramento do Programa)


Participe! Vagas limitadas e inscrições gratuitas!

 SE INSCREVA EM: STARTUP SP

22 maio 2018

El diseño estructura el futuro

Alex Blanch: "El diseño no solo aporta valor agregado, sino que es estructural para el negocio"

 
Un cambio radical. El mundo del diseño ha dado un giro copernicano. Como disciplina ya no se plantea el desarrollo de un nuevo producto como un fin en sí mismo, sino que mira ese producto como medio para un fin más ambicioso: mejorar la vida de las personas en su entorno buscando el mínimo impacto en el medioambiente. Alex Blanch, diseñador y músico catalán, asegura que lo importante no es el tipo de producto que se crea sino el destinatario del mismo. "El diseño hoy se entiende de una forma mucho más interconectada e interdisciplinaria que hace una década. El profesional debe tener una mirada de 360 grados. No basta con las buenas ideas; hay que ser capaz de conducir procesos complejos como son los de innovación. No se puede pensar en clave de diseñadores gráficos o industriales. Debemos entender de manera más completa las necesidades de la gente en sus entornos y saber por qué medios conseguir una mejora de sus condiciones de vida sin lastimar el ambiente".

17 maio 2018

Chamando Professores de Design

Vamos criar atividades em Design, Tecnologia e Empreendedorismo?



Fotos de alguns dos nossos Professores, de vários temas, nas várias atividades.
Com o projeto do 1º Espaço de Colearning do Mundo — um lugar fantástico que vai mudar a forma com que as pessoas aprendem e materializar uma cultura do aprendizado coletivo através de um espaço — nós queremos você.


O Eduardo Matos é desenvolvedor web desde 2004 como professor e programador. Já passou por R7.com, JWT, Medicinia, BankFacil e em projetos com Philips, Adidas, entre outros. Hoje atua como Programador Front-end na GetNinjas, palestrante, organizador de do HTML-SP e FrontEnd Brasil no Github e facilitador do Coletividad.

Esse é um chamado para você com anos de mercado que quer usar suas habilidades no trabalho mas não consegue; você querendo se aproximar da Comunidade e conhecer novas pessoas; você palestrante de conferências; você organizador de meetups; você cheio de vontade de aprender e ensinar.
Nós existimos há 6 anos, baseados na visão de oferecer mais oportunidades, experiências e escolhas melhores na sua jornada individual.

Legal, o 1º Espaço de Colearning do Mundo, blá blá blá… Mas por que eu iria?

O Futuro.

15 maio 2018

Gui Bonsiepe, uma revolução silenciosa pelo Design

O designer Gui Bonsiepe é agora Doutor Honoris Causa da Universidade de Lisboa. Chile, Brasil, ou Portugal têm na sua história a marca dele.
Bonsiepe esperava-nos à porta da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, que neste mês lhe atribuiu o título de Doutor Honoris Causa, sublinhando a sua ação como designer "na transformação e desenvolvimento económico da sociedade em países como Portugal, Brasil, Chile e Argentina". 

Estava a dias dos 84 anos, que haveria de completar ainda em Lisboa, antes de voltar ao vai e vem entre Buenos Aires e Florianópolis (onde criou o Laboratório Brasileiro de Desenho Industrial), caminho que ele e a mulher gostam de percorrer sem pressa, ao longo de dois dias e meio.

14 maio 2018

Desça o livro "Mudança e Sustentabilidade na Moda"

 



Ao responder sobre o porquê da metáfora do lago ser utilizada como tema da roda de conversas que aconteceu no lançamento do livro, Susana Simões Leal, co-coordenadora do curso e organizadora do livro respondeu que “ A ideia foi passar a imagem de que o LIS Moda foi como uma pedra jogada na superfície de um lago. O impacto causado pela pedra provoca perturbações na água parada e um movimento de ondas em forma de circunferências a partir do lugar onde a pedra caiu. Essas ondas vão reverberando e provocando mudanças nesse ambiente. O LIS Moda quer ser esta pedra no meio do lago."


Siga no Facebook

Siga Susana Simões Leal - autora do livro

11 maio 2018

Designers - Fundadores de Startups - Cammada

Começa aqui uma nova coleção de artigos intitulada "Designers - Fundadores de Startups".

Caso você seja designer (produto, gráfico, digital) e é sócio - fundador de startup, entre em contato para ter o seu perfil publicado aqui.

Esta série de artigos surge do interesse crescente no designer, que sendo um inovador natural e orgânico, adiciona muito valor seja tangível e intangível à startups e há uma falta de designers nos núcleos criativos e inovadores de startups e principalmente MPE.
Começamos esta serie com CAMMADA fundada pelo designer José Luis Oliveira junto com outros profissionais.
Área da startup: Impressão 3D

1) Nos conte sobre a sua experiência profissional antes de fundar a Cammada?

Durante a Universidade trabalhei em diversos estúdios de design e agências de publicidade, onde pude desenvolver um bom senso estético e aprender um pouco mais do lado gráfico, uma vez que minha formação se deu em design de produto. Após a graduação tive oportunidade de passar um ano morando em NY estudando e buscando aprender o máximo possível, desde o retorno sou pesquisador no Instituto Nacional de Tecnologia na Divisão de Desenho Industrial, onde pude trabalhar em diversos projetos com empresas de diversos tamanhos, e conhecer profundamente a área de P&D pública e privada.

 2) Como se deu essa transição de designer para fundador de startup?

 A transição acabou se dando de forma muito orgânica. Após o mestrado, por algumas circunstâncias que se deram na relação do Instituto Nacional de Tecnologia com as empresas - houve uma limitação nos valores mínimos de projetos a serem contemplados pelo INT, diversos clientes e empresas começaram a procurar, e através de consultorias comecei a ter maior contato com empresas e startups. Por conta desse contato e da imersão nesse universo comecei a buscar ideias inovadoras que pudesse gerar um business, e junto de amigos de longa data passamos a desenhar o que hoje viria a ser a Cammada.

3)  Como o design colaborou para essa nova jornada de startup?

O design como forma de pensamento e metodologia foi essencial para a jornada, através desse olhar eu e Bernardo (outro designer que é fundador da Cammada) pudemos aliar a visão altamente técnica do Harrison (desenvolvedor) e do João Pedro (Eng. de Produção), e buscar uma visão mais empática sobre a experiência de consumo que pretendíamos com o serviço que estávamos propondo, além de utilizar ferramentas de design de serviço e design thinking para desenvolver a jornada do usuário. Hoje, após mais de 2 anos de empresa consolidada e funcionando, vemos que todo o trabalho feito previamente, com diversas reuniões e toda a busca por entender o cliente e o mercado nos trouxe para um caminho muito correto, onde ao longo do tempo de vida da empresa precisamos fazer pouquíssimas mudanças no nosso fluxo de trabalho, e atribuímos muito disso ao design.

4) O que você recomendaria para aqueles designers que querem ou estão fundando uma startup?

 Sem dúvida nenhuma minha recomendação é estudar, obviamente que é impossível aprender tudo que se faz necessário na fundação de uma empresa, mas acho que é imprescindível buscar conhecimento. Todo e qualquer serviço que precisamos contratar durante a formação da Cammada, um dos sócios já havia estudado, então teria condições de dialogar e debater com um mínimo embasamento com o profissional contratado para tal. Nisso posso citar pontos em que mais vejo falhas na formação de novos empreendedores: conhecimentos de finanças e gestão financeira - visão macro ajuda a entender suas condições, e conhecimentos de marketing - não há bom vendedor que não saiba vender bem, fato!

                            VISITE A CAMMADA 

Siga o Designer - Fundador José Luis Oliveira no LinkedIn

07 maio 2018