19 julho 2010

Doenças Ecológicas para este novo mundo


Nasceu mais um consumidor!

A preocupação meio ambiental leva a um fenômeno triste, o surgimento do que eu chamo "doenças ecológicas". Como exemplo no Brasil, empresa de chocolates cria mercados flutuantes (barcos) para levar os doces a populações ribeirinhas do Amazonas, impactando o meio ambiente o menos possível. Uma primeira percepção do assunto, nos leva a aplaudir a iniciativa inovadora e sustentável. Mas pensemos de novo....

Uma população já carente em serviços de saúde, provavelmente terá um aumento considerável de caries e problemas de saúde nos próximos anos. Então teríamos a dinâmica de mais meio ambiente e menos saúde individual.

Onde está o aspecto sustentável?

 Isso tem acontecido ultimamente com a indústria da alimentação, que tem atitudes sustentáveis e ecologicamente "corretas" em detrimento da saúde do consumidor. Caindo de novo, na lógica e coerência que a sustentabilidade exige e que poucos tem na aplicação pratica.
O papel da empresa e´vender doces  e não tampar caries, tudo bem; essa carência de postos de saúde, infraestrutura é papel do governo e não dela.

Mas se projetamos a futuro essa situação, pode ser que tenhamos uma população mundial obesa e doente, o que já está acontecendo, em um meio ambiente fantástico e conservado. Fenômeno que vai continuar se repetindo, (+ meio ambiente - saúde), mas desde quando as empresas criam soluções para os problemas de saúde que elas geram?

Sustentabilidade exige alto grau de ética e coerência! Algo em falta nos meios corporativos...

Ética deve ser sustentável? Ou a sustentabilidade deve ser ética?
Postar um comentário