13 janeiro 2011

Uma visão de futuro no desenvolvimento de produtos

Hélio Samora
Em um ambiente globalizado, o desenvolvimento de novos produtos torna-se uma ferramenta estratégica para manter as empresas em mercados segmentados. Observamos que as pressões, principalmente num cenário de crise, são mais fortes nos setores de bens de consumo, com destaque para os produtos eletrônicos e os equipamentos médicos, que vêm ganhando a atenção da indústria. Mercados que exigem grandes investimentos e longos ciclos de desenvolvimento, tais como automotivo e aeroespacial, também sofrem pressões de todos os lados.

Desta forma, ganhar ou manter market-share, está diretamente relacionado com a capacidade das empresas em desenvolver produtos que sejam inovadores e customizados, mantendo-se a qualidade percebida pelos consumidores nas mais distintas classes sociais.


Todavia, muitos executivos não priorizam os investimentos em desenvolvimento de produtos. Podemos dizer que, ainda, há "barreiras" sobre a completa compreensão sobre os processos de fabricação e os recursos que a Tecnologia da Informação oferecem às empresas para reduzir recalls e falhas em produtos. Muito já se sabe sobre as ferramentas e soluções como, por exemplo, CAD/CAE/CAM (Análise e Manufatura Assistidas por Computador) ou PLM (Gerenciamento do Ciclo de Vida do Produto). Mas existem alguns gargalos dentro das empresas: subutilização dessas ferramentas, capacitação de pessoal, projetos que demandam horas e recursos financeiros, que poucam agregam no resultado final do produto.


Adicionalmente às demandas de prazo e custos reduzidos, estamos vendo o surgimento de novas necessidades que tornam o desafio de desenvolver um produto algo muito mais complexo. Fatores que fazem a diferença na busca pela competitividade situam-se na criação de produtos customizados, na qualidade, no meio ambiente e até o seu desenvolvimento social.


A customização do produto está intrinsecamente relacionada à fidelização do cliente. Isto significa atender as necessidades de cada cliente ou mercado, criando uma espécie de "blindagem" para a concorrência.


Na mesma linha da customização está o desenvolvimento social do produto, ou seja, o uso de redes sociais na internet e blogs, para colaborar na criação de um produto. Democraticamente, os usuários sugerem inovações e criam demandas de mercado, eliminando as inúmeras barreiras organizacionais que existem entre o cliente e o departamento de desenvolvimento de produto.


E tão importante quanto a customização e a participação dos clientes no desenvolvimento de produtos, estão as técnicas e metodologias, como Lean Product Development, Six Sigma, APQP, usadas por engenheiros para mensurar a qualidade e o tempo de vida de um produto, ainda na sua fase de projeto e/ou desenvolvimento.


A atenção ao meio ambiente também já é realidade nas empresas. Hoje, o Design For Green (desenvolvimento de produto focado no meio ambiente), desde a concepção, fabricação, venda, uso e descarte do produto devem ser pensados, planejados e executados seguindo métodos e procedimentos que reduzam riscos ambientais.


E que o esperar do futuro ? É sempre um exercício interessante para empresas e toda sociedade tentar projetar ideias, conceitos e soluções na curva do tempo. Porém, dada a dinâmica do mercado, algumas projeções têm uma grande chance de se tornarem realidade, considerando-se que:


1) As ferramentas e soluções em TI serão mais fáceis de usar e implementar, trazendo agilidade a todos os participantes do processo de desenvolvimento.


2) Empresas sem uma solução eficaz em CAD e PLM não poderão competir, pois não conseguirão a mesma eficiência que aquelas que desenvolvem mais rápido, adaptam-se melhor a mudanças do mercado.


3) A Inovação e a criação de produtos customizados serão os grandes diferenciais das empresas vencedoras, e estes produtos serão fortemente influenciados por redes sociais da internet, que apontarão suas necessidades e desejos, com produtos competitivos.


4) Cada vez mais, os consumidores irão exigir produtos sustentáveis e, portanto, as empresas que não cumprirem este papel, colocam em risco a sua sobrevivência.


O que não podemos prever é quando os executivos, presidentes e diretores de empresas darão a devida importância ao desenvolvimento de produto. Somente quando esta época chegar teremos o fim de produtos ruins, de baixa qualidade, de recalls etc.


* Hélio Samora é diretor da PTC para América Latina
Fonte: 2PRÓ COMUNICAÇÃO

Extraido de: http://www.guiadaembalagem.com.br/artigo_88-uma_visao_de_futuro_no_desenvolvimento_de_produtos.htm

"Na mesma linha da customização está o desenvolvimento social do produto, ou seja, o uso de redes sociais na internet e blogs, para colaborar na criação de um produto. Democraticamente, os usuários sugerem inovações e criam demandas de mercado, eliminando as inúmeras barreiras organizacionais que existem entre o cliente e o departamento de desenvolvimento de produto."

O desenvolvimento social do produto e´também  o chamado co-design ou design colaborativo, onde o usuário está participando do processo de design desde o inicio,  poderiamos até chama-lo de "cloudcomputing product design"?

Nota de marcio dupont.
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...