15 julho 2010

Stefan Lindegaard no The Hub

Assisti a palestra do dinamarques Stefan no The Hub SP, onde ele trabalha a ideia de que a inovação em este momento é open and global.
Dois fatores basicos para a inovação são o conhecimento e as pessoas que geram esse conhecimento-networking especifico.

A situação ideal para ele seria a união de start-ups com ideias inovadoras(sem os recursos necessarios para materializa-las), com as grandes corporações que podem fazer acontecer essa inovação especifica.
Alguns presentes rebateram a ideia no sentido de que as corporações são burocraticas, rigidas e algumas vezes essa união não daria certo.
Mas ele comenta que cada vez mais as corporações deixam de lado a sua postura de ganhar sempre e reconhecem a importancia e papel de inovadores externos, cedendo ou registrando patentes e p.i. de maneira justa para todos os participantes.

Cada vez mais e´necessario as fontes internas e externas que colaboram para a inovação, por isso a denominação "open innovation", que não e´a mesma coisa que crowd sourcing ou open source.

Crowd Sourcing para ele seria mais uma jogada de marketing e de marca, onde a empresa joga para o consumidor os seus problemas internos esperando uma resposta genial; mas como ele afirma a caixa de correio fica lotada de respostas sem sentido e não há como filtrar as ideias geniais da maioria de ideias ruins.

Open Source seria para ele procurar a inovação externamente, mas sem entender o significado de inovação para a empresa internamente, uma receita infalivel para o fracasso

Ele enfatizou muito que a empresa deve formular a sua propia definição de inovação e gerar ela de dentro para fora, para então ser capaz de entender e administrar a colaboração de inovação externa.
Open innovation seria então esse processo colaborativo dinamico de dentro para fora e de fora para dentro, mas como ele mencionou a empresa deve ser capaz de saber quando e porque passaria de um processo para o outro ou usaria as duas dinamicas.
Algumas vezes a empresa não precisa de open innovation, mas como sempre, todos embarcam de olhos fechados nas ultimas tendencias para depois recolher as perdas mais tarde.

Ele mencionou que o foco da inovação agora é de fora para dentro.
Uma demonstração desse movimento e´que a conhecida sigla R&D (research and development - pesquisa e desenvolvimento ) vem sendo substituida por C+D (connecting / connection + development ).
Atitude já assumida  por empresas como P&G.
Ele diz que agora o mais importante não nem ser o primeiro ou mais genial, mas sim aquele que tem a visão holistica do assunto como a Apple, que não inventou o MP3, mas sim soube como transformar isso para o seculo 21.

Interessante que ele menciona que ainda não existe innovation management e nem innovation metrics estabelecidas formalmente de maneira global como o controle de qualidade de Deming. Quem se habilita?

E que ao final do dia todos devemos ter na ponta da lingua o elevator speech, que junto com communication and personal branding são e serão ferramentas indispensaveis para o sucesso profissional em estes tempos.

Elevator speech= venda o seu peixe em 60 segundos! e seja contratado.

Vejam o site dele e links de inovação: http://www.15inno.com/
Postar um comentário